segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Nosso Doce novembro

23:34:00 5 Comments
Hoje acordei com vontade de te abraçar daquele jeitinho especial,meus braços em teu pescoço,e o seu em minha cintura,tomar um cafezinho com cheiro de mistérios,vestir uma roupa que me deixasse com sensação de liberdade,que me fizesse sentir vontade de sair de mãos dadas com você sem relógios do tempo,queria poder dar bom dia ao sol, e sentir em meu rosto brilhar a saudade,abrir os braços cada vez que o vento passasse soprando  em meus cabelos e me introduzindo ao trono do meu pensar,deixando meu corpo leve e meu coração acelerado.Hoje eu queria ir a um lugar só nosso, mesmo com minha tola imaginação e andar quantos caminhos fossem possíveis,sem surpresas,sem indagações,apenas momentos.Hoje eu queria apenas estar com você,em um lugar qualquer, tocar em teu rosto suavemente,olhar em teus olhos como se não existisse mais nada em nossa volta,beijar tua boca levemente e conseguir por instantes sentir tua doçura.Hoje eu queria apenas andar por um caminho novo ,provavelmente desconhecido mas que fosse nosso, para juntos  brindarmos nosso doce novembro......Hoje tenho todo tempo do mundo pra pensar em nós....

Cecilia sfalsin

Tem gente que é assim

19:50:00 8 Comments
Tem gente que é assim,
entra no nosso coração,
abre as janelas da nossa alma,
traz alegrias e felicidade,
senta e começa a nos analisar,
consegue nos fazer esquecer das dores,
tem fome e sede de nos ver sorrindo,
desocupa os lugares de sofrimentos,
nos faz ama la,
depois disto tudo,
se tranca la dentro,
e engole a chave,
e não quer sair mais,
Ahhh,só pode ser brincadeira né...

Cecilia sfalsin

Fábula de um coração.....

09:57:00 5 Comments



(...)A noite era fria e ouvia se o canto das cigarras a anunciar a escuridão que afligia, o céu sombrio, sem as reluzente estrelas demonstravam dor e angústia de um coração solitário que em busca de abrigo viu se apertado  
sem motivos para caminhar.Quando de repente ouve se a 
porta se abrir, em ruídos se fecha silenciosamente,como se
 alguém entrasse sem pedir licença , um invasor da noite a roubar o que não lhe pertencia.O pobre coração aflito esconde se em meio aos cantos em desespero e prantos ,amedrontando se  no silêncio da noite onde a voz não se ouvia.Em passos firmes o que era estranho e desconhecido aproximava se, sem que houvesse palavras invadia os labirintos do coração que nem se quer ousou pedir permissão.De uma forma simples, e calma navegava nas feridas deste pobre aflito e com bálsamo as limpava, derramando sobre elas gotas de sentimentos,aquele pequeno coração que se escondia se viu nas mão de outro coração que o compreendia. O medo se ia, a entrega acontecia,a solidão se perdia ,e aquele coração que temia se via em grande alegria sendo invado por um coração que tanto o queria.A noite se despedia, em um cenário de encantos, pois daquele pequeno ser não se ouvia mais pranto.Onde havia angustias,solidão e dor,hoje havia felicidades,paixão e amor(....)


Cecilia sfalsin

sábado, 29 de outubro de 2011

POSTAGENS RECENTES

Copyright

Os direitos autorais são protegidos pela lei nº 9610/98 e violá-los é crime. Ao copiar textos atribua os créditos.