Dos tantos desafios que a vida me propôs, das tantas experiências que já vivi com pessoas, com situações difíceis, das tantas adversidades que me afetaram emocionalmente, ou que me fizeram ficar sem chão algumas vezes, o que eu tenho a dizer è: SOBREVIVI . 

E só sobrevivi, porque Deus foi me ensinando a enfrentar os ventos sem acumular o mal dentro de mim, sem deformar o meu coração, sem perder o meu melhor, sem permitir com que as coisas ruins, fizessem parte do meu presente de forma doída e ressentida. Somos feitos de afetos sinceros e fé bonita, e quanto mais deixarmos de lado o que não valeu a pena, mais chances temos de avançar, de crescer, de conquistar o que almejamos em qualquer área de nossa vida. 

DORES não são convidadas não viu, elas chegam sem avisar, mas o bonito de tudo, é  que elas tem o poder de nos reconstruir por dentro, entendam, eu não disse que devemos hospeda-la com todas as honras da casa, mas que precisamos fazer delas uma oportunidade, e não uma arma de destruição, encará-la sem medo, e não afagá-la, como se elas fossem dominadoras dos nossos sentimentos, como se elas ditassem as regras da nossa alma, e nos tornassem escravos de suas amarguras. 

Enfim, a verdade é uma só, pra tudo há um propósito, e que, se pensarmos bem em todas as batalhas que enfrentamos, encontraremos em cada uma delas uma lição de vida, ao qual fará parte das nossas construções futuras, e que provavelmente se transformarão em bençãos esperadas e milagres pedidos, se não aceitarmos suas sequelas em nós. 

Cecilia Sfalsin

Dos tantos desafios que a vida me propôs, das tantas experiências que já vivi com pessoas, com ...


Neste mundo, onde os valores se distorcem e os sentimentos deixam de ser priorizados pela vontade excessiva de ser e ter de alguns, eu decidi me respeitar, e colocar acima de tudo e todos Deus em minha vida, e a frente dos meus sonhos e escolhas também.

 Decidi me cuidar de uma maneira decente, proteger o meu coração do que é mal, fazer com que cada segundo dos meus dias sejam proveitosos, caminhar devagar, sem pressa, observando os caminhos, construindo experiências, e exercitando a minha fé em cada situação que eu tiver que enfrentar.

Aprendi que a honestidade da vida se abriga por dentro da gente também, e que as vezes precisamos nos salvar de tudo aquilo que nos atrasa, que desbota a nossa alma, que encarcera o nosso riso, e nos libertar, para que as coisas boas tomem o seu lugar em nós.

Descobri que não podemos nos contentar em sermos apenas uteis para os outros, mas que precisamos acima de qualquer coisa, nos sentirmos importantes, e não permitirmos que nos suguem ou nos desvalorizem por possuírem os nossos afetos, e a nossa atenção.

E com estes ensinamentos, decisões e descobertas, me dei conta de que, é necessário saltarmos de para-quedas, daquilo que só nos fere, e pisarmos em terra firme, acreditarmos mais em nós, abraçarmos com vontade esta oportunidade de viver de novo, e de de novo, e de novo que a gente ganha todas as manhãs, e entendermos que, nada é tão mais  interessante nesta vida, do que nos sentirmos interessantes pra nós mesmos e super valorosos pra Deus.

Cecilia Sfalsin

Neste mundo, onde os valores se distorcem e os sentimentos deixam de ser priorizados pela vontade...

Ninguém consegue fingir ser  quem não é por muito tempo, porque Deus não deixa, e as atitudes também não. Todo lobo é sagaz, e por mais que ele tente se vestir de ovelha, seus passos vão sempre deixar rastros do  seu mal caráter, e seus atos vão sempre revelar a sua má conduta.


É sempre assim que acontece, porém, nem sempre vamos perceber  de imediato, as vezes leva tempo pra gente descobrir a verdadeira intenção de uma pessoa em relação a nós, pela ingenuidade do nosso coração, pelo sentimento, pela confiança que depositamos, e quando o vento sopra forte, e o tempo resolve botar as cartas na mesa, o susto é grande, e a dor que sentimos também.

É uma pena saber que neste mundo tão grande, e tão carente  de bons amigos, de bons relacionamentos, de boas convivências,  ainda exista aqueles que sentem prazer na maldade, que gostam de enganar, que carregam do lado de fora do peito laços bonitos, e do lado de dentro ruindade, inveja, ódio, ressentimentos e amarguras velhas. 

Todo cuidado é pouco, com quem entra e com quem sai da nossa vida, e se quisermos ter paz nos caminhos, precisamos aprender a lidar com gente desumana também, e discernirmos com precisão se é lobo ou ovelha que estamos alimentando, se é o joio ou o trigo que estamos regando.

Cecilia Sfalsin

Ninguém consegue fingir ser  quem não é por muito tempo, porque Deus não deixa, e as atitudes tam...