/
50 Comentários
Por mais que os tempos foram difíceis em minha casa em anos passados  tenho boas e agradáveis lembranças de minha infância, nunca tive uma boneca
Barbie, roupas elegantes e de marca, joguinho de maquilagem como toda garotinha sonha,  brinquedinhos eletrônicos , nem ao menos sabia o que era shopping , mas não falo isto com tristeza, muito pelo contrário, o estilo de vida que meus pais me ofereceram na época geraram frutos e me tornaram a pessoa que sou hoje, pois com eles aprendi que não podemos ter tudo na vida, mas podemos aproveitar tudo que temos e transformá los em nossas maiores riquesas . Foram tempos bons onde tudo que eu ganhava dava um valor danado, pelo fato de ser comprado com muito esforço e carinho por eles, lembro me da minha primeira boneca, se chamava Cris, a tenho até hoje , comprada em  5 pagamentos (risos), e um carrinho controle remoto para o meu irmão, foram os primeiros presentes mais caros que recebemos e ficou ali guardadinho, para não arranhar, estragar, porque o que a gente gostava mesmo era do movimento da rua, da peteca, da bola de queimada, do carrinho rolimã, do carvão para rabiscarmos o muro, das latinhas de coziadinhas e dos amigos que sempre estavam aprontando com a gente, são momentos que me lembro com alegria e saudades também .Hoje aprendi a criar e recriar na vida, de forma simples, sem me apegar ao luxo, com liberdade de ir e vir e ser quem sou,  tenho uma boa formação escolar , trabalho de uma forma tranqüila e mesmo em meio as dificuldades eu sei que aguento, pois não preciso de muita coisa pra dizer que fui e sou feliz , pois a felicidade esta  ali, nas pequena coisas, nas mais humildes , nas que ninguém dão nada por elas, mas são  as que enfeitam o coração da gente...

Cecília Sfalsin
Obs: Esta mocinha acima sou eu...:)


Leia também

Por mais que os tempos foram difíceis em minha casa em anos passados  tenho boas e agradáveis lembranças de minha infância, nunca tive uma b...

50 comentários:

  1. Boa noite Amiga!

    Cecília minha querida, eu tive uma infância muito parecida com a sua!
    Não tive tudo o que eu queria, porém segui o meu caminho na vida, e com isto aprendi a dar valor a tudo!

    Não foi fácil a minha infância...o que não deixou eu ser uma pessoa amarga foi ver a luta da minha mãe, que sustentou eu e meu irmão vendendo panelas de porta em porta! Ela se separou do meu pai quando eu tinha dois anos de idade...foi uma luta!
    Hoje eu vejo os valores da minha mãe e tento segui-los!
    O nosso valor não está no que nós possuímos, e sim em nossas atitudes, eu acredito muito que a índole de uma pessoa mesmo sofrendo agruras não se desvirtua, mas veja bem ...
    se ela for do bem!
    E você provou isto!

    Eu gostei muito de saber um pouco de sua infância!
    Amiga esta foto está linda!

    Beijos

    Dany(Janete)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Linda Dany,

      A vida é muito linda quando optamos por sermos do bem, nos assemelhando ao que realmente nos faz crescer, e nos alimentando de exemplos sadios que nos dão orgulho , assim foi você, fez das batalhas e vitórias de sua mãe um espelho e por ele se eternizou na pessoa linda e cheia de poesias que é hoje...são estes valores que nos enriquecem..

      Amiga, beijos em seu coração e muito obrigada por me relatar um pouquinho de você...

      Excluir
  2. Que carinha, meu Deus!!Rs Nem um sorrizinho..., rs...

    Embora eu não tenha tido ou passado por essas dificuldades, aprendi, com a educação que recebi de meus pais, que para ser feliz basta tão somente querer, independente de qualquer questão. Ademais, penso que o importante na vida é saber desfrutar dela, pois ela é quem tudo nos dá... A vida é maravilhosa, porque é simples e não precisa de mais nada. Basta olhar para o céu, para os animais, para as cores e perfumes das flores, para o verde das plantas etc... A natureza é rica em sua simplicidade e é um dos nossos maiores bens, já que há nós, os seres humanos. Depois dessa vida que Deus nos ofereceu, só precisamos saber respeitar os próximos, aí, pronto, a vida é belíssima... Como eu já disse, ela nos fornece tudo... Sim, é preciso ter Deus no coração.

    Beijos e bom final de semana,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia Ana,

      Carinha de mocinha séria , não acha?
      Mas não consegui crescer com tanta seriedade, rsrs,
      Amiga, a educação que recebemos é o bem maior em toda nossa existência, dela nos fazemos, nos formamos, aprendemos a lidar com os outros e também a encarar a vida de forma sábia e construtiva.Concordo com você, precisamos desfrutar da vida e abraçarmos o que vale a pena e o que nos fará bem, sem medo, não são os bens que nos fazem ser quem somos e sim os princípios e valos adquiridos ao longo dos anos, a simplicidade de se viver abrilhanta cada vez mais o nosso ser....

      Beijinhos querida e obrigada......

      Excluir
  3. Respostas
    1. Ei Margarida,

      Quanta honra recebê la aqui, rsrs, eu até que era fofinha né, rsrs...

      Beijos querida e obrigada pela preciosa presença..

      Excluir
  4. Querida Cecilia! QUE LINDINHA!
    A mesma carinha, apenas passaram algumas primaveras!
    Eu tambem!!!!!
    Morei numa casa enorme, confortavel, mas totalmente simples.
    Nunca me vesti com roupas da moda, mas tenho as melhores recordações de minha vida. Eu fui TAO CRIANÇA, com todo direito de sorrir, brincar, correr, viver... ahhh bons tempos. Sagrados. Um tempo simplesmente divino que me tornou a pessoa que sou e com muito orgulho.

    BEIJOS

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sissym, rsrs

      São estas primaveras que nos enfeitam não é verdade? rsr
      Amiga, tive uma vida bem simples na infância, mas meus pais eram sempre presentes e esforçados em nos fazer felizes por mais dificuldades que tínhamos, não tenho o que reclamar um só minuto, dedicados, atenciosos,e sempre com bons exemplos , cuidados e educação.Meu pai é do tipo que se assentava depois do trabalhos para nos ensinar a criar brinquedos, por tanto que os anos passaram, tudo evoluiu, meus sobrinhos parecem ter uma loja eletrônica dentro de casa e meu pai assenta no chão com eles para criar peão, pipa, carrinhos de rolimã, e eles adoram o avô. rs..E como bem colocado por você, um tempo divino e que me deu motivos pra ser quem sou hoje e com imenso orgulho também...

      Beijos e obrigada pelo carinho...te admiro..

      Excluir
  5. Menina, vivo repetindo coisas assim pros meus sobrinhos, que hoje eles, se não são ricos, podem se sentir privilegiados pela vida que levam, se comparado com a que nós tivemos. Mas não adianta, o negócio dessa geração é TER, incansavelmente TER, o melhor tênis, o celular da moda, tudo que daqui a um minuto será descartado.

    Mas crescerão, né?

    Tomara que tenham uma infância tão lúdica e feliz feito essa que você lindamente descreveu.

    Que menina linda!
    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Milena,

      Nossa infância não se compara ao mundo em que eles tem hoje, tudo se tornou mais fácil, aliás, nem sei se realmente é isto, pois nossa infância era tão boa, convivendo com amigos, nossa mente tinha necessidade de criar nossos brinquedos e inventar nossas brincadeiras, o corpo suava , mas era tão bom , hoje infelizmente a infância esta sendo roubada pela tecnologia, as crianças ja crescem sozinhas enclausuradas aos seus próprios brinquedos, viajando em mundos virtuais, e deixando de desfrutar o verdadeiro sabor da vida...Como bem disse uma geração na incansável busca do ter, apenas ter....
      Mas com certeza crescerão, e tomaras sim , que tenham belas histórias pra contar....

      Bijinhos linda flor e obrigada

      Excluir
  6. Oi Cecília,
    Nessa época, se não tínhamos brinquedos, a gente inventava. Jogava peteca, taco, fazia casinha, pulava corda, pega-pega, esconde-esconde... carrinhos, bonecas, pra quê?
    E olha que eramos criativos!

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Nestor,

      Exato amigo, tínhamos uma criatividade pra lá de serie, uma mente super evoluída, e sem preguiças para pensar ou inventar não é verdade? Tempos bons ......

      Abraços e obrigada..

      Excluir
  7. Cecília...sabe, eu fui criada numa cidade bem pequena, do interior de São Paulo e as minhas melhores lembranças da infância não são dos brinquedos...e sim das brincadeiras na rua, pés descalços, de tomar chuva, coisas tão simples e tão boas. É feliz quem aprende desde cedo a compreender a importância dessa simplicidade na vida!!!
    Texto cheio de sabedoria, minha amiga!
    Mil beijos!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isa,

      Que delícia tudo isto amiga, eu também, nossa como me divirto lembrando, era muito bom além de uma inteiração maior que tínhamos com nossos amigos, aquela coisa de cheiro mesmo, tudo era tão simples, mas a felicidade que nos traziam deixou belas e saudáveis recordações....

      Amiga, beijos e muito obrigada pelo carinho que sempre me proporciona com tua presença...

      Excluir
  8. OI, Cecília, adoro depoimentos assim, tão reais. Adorei sua foto e suas memórias! Na infância até os 8 anos meu pai tinha um bom emprego, mas eles sempre fizeram questão de dar presentes só nas datas especiais, e só se nos comportássemos (eu e meu irmão). Brincamos muito com brinquedos mas também inventávamos brincadeiras sem material nenhum, o que me fez aprender a dar valor para o simples e para o contato pessoal. Um abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bia,

      Na nossa infância a gente brincava, criava e inventava, e o mais importante ao qual você disse sabiamente , aprendemos a dar valor para o simples e para o contato pessoal o que raramente vemos nos dias de hoje....

      Abraços , e obrigada por se fazer presente aqui...

      Excluir
  9. Olá Cecília,
    que texto lindo !
    Eu saboreei cada palavra.

    Apesar de ter apenas 22 anos,
    minha infância foi bem assim.
    Meus pais decidiram cedo que não queriam que os filhos pulassem etapas, então, brincamos muito na rua, jogamos muita peteca, criávamos nossos brinquedos. O mais engraçado é que quando ganhei uma Barbie, achei tão sem graça, rs.

    Quando eu tiver meus filhos, eu espero conseguir fazer com que eles se divirtam tanto quanto eu e meus irmãos nos divertimos sem necessidade de tanta 'novidade'.

    Um beijo,
    Jhosy
    http://meninamsicaeflor.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jhosy,

      Seus pais foram sábios, mesmo tão nova pode usufruir da simplicadade da vida e poder transforma las em boas e agradáveis lembranças, além de tirar um bom proveito para sua vida futura , uma via com simplicidade mas muito feliz....

      Beijos querida e obrigada por compartilhar um pouquinho de você...

      Excluir
  10. Olá, Cecília!
    Uummhhhh, gatinha desde novinha - riomou! kkkkkk
    Bjs!
    Rike.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rsrsrs,

      Percebeu Rike?,

      Sempre fui lindinha né rsrsrs,
      Até nisto você rima......

      Beijos meu querido

      Excluir
  11. Lindo obrigada pelo privilégio de me deleitar com essas belas palavras.
    Beijinhos em seu coração e flores em seu travesseiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Paula,

      Eu que devo agradecer pela honra de ter sua presença abrilhantando meu espaço, sejas sempre bem vinda, sinta se em casa e sirva se de um chá de felicidade ....

      Beijinhos, volte sempre e grata pelo carinho

      Excluir
  12. Olá minha querida amiga Cecilia, boa noite!!!
    Sua bela história serve de exemplo para muita gente, que tem tudo e não dá nenhum valor. Mas concordo com você minha amiga, o que realmente tem valor é o carinho e o amor que recebemos de nossos pais e da família, esse sim, é um grande tesouro que se perpetua por toda eternidade. Temos que aprender a dar valor ao que temos, sempre é muito mais do que merecemos...
    Valeu minha querida amiga, adorei o seu texto, parabéns!!!
    Tenha uma lindo e abençoado dia!!!
    Abraços com muito carinho e muita paz!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Edu Meu querido,

      Que saudades de você por aqui,

      São nestes valores que aprendemos o real sentido da vida, que não precisamos de muito pra ser feliz, mas a simplicidade para abraçarmos o que realmente nos fará crescer e ser o que somos, e nisto sou muito grata a vida pela infância que tive...

      Abraços meu amigo e muito obrigada por passar aqui....e deixar o perfume de suas palavras

      Excluir
  13. Olá Cecília,
    Esta mocinha aí em cima está muito séria. Prefiro a sorridente de agora (rsrsrsrs).
    Também tive uma infância regrada, mas com isto aprendi a valorizar as coisas.
    Daqueles tempos o que fica são os momentos de brincadeiras e risadas com os amiguinhos, bem como o carinho e amor que se recebe. O resto, conquista-se.

    Gostei do seu depoimento!

    Ótimo final de semana!

    Beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Vera,

      Amiga, acredita que eu também prefiro a mocinha de hoje? ela sorri demais, rsrsrs,

      Mas que delícia de infância que tivemos não é verdade?Aprender os valores que tínhamos e deles desfrutarmos com sabedoria para sermos a pessoa que somos hoje, isto é gratificante ,uma infância cheia de boas e agradáveis recordações...

      Beijos minha querida amiga, com direito a sorrisos...:) e obrigada pelo carinho

      Excluir
  14. Cecília, como você é querida no que fala, com tanto carinho nos seus momentos de sua infância, dava a real importância as coisas sem ligar para o que tinha, você contando lembro de minha mãe falando sobre sua primeira boneca, sobre as brincadeiras na rua e todas as outras situações que não vemos no dia de hoje, como é importante na nossa vida temos esse lado humilde, que nos engradece muitíssimo quando somos adultos, gerando um ser humano de bem, com o propósito de continuar passando isso a seus semelhantes, adorei o texto Cecília, grande beijo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Cla,

      Todos nós temos um pouquinho a contar não é verdade? Minha infância não foi ruim, embora difícil os momentos eram superados pelo carinho e pela atenção que meus pais me deram e principalmente por poder ser criança e usufruir cada instante com alegria , prova disto que virou uma história real hoje. A maior riqueza que podemos adquirir na vida esta nas coisas mais simples e humildes...Basta termos visão pra isto....

      Beijos

      Excluir
  15. Boa tarde Cecilia

    O importante é que você foi feliz!

    Não é por termos mais que vamos ser felizes,ao contrario,ao não saber lidar com muito ocorrem desgraças.

    Hoje os tempos são outros,e tenho pena que tenham mudado e as crianças já não brincam como antigamente.

    obrigada por partilhar seus tesouros.
    beijos
    joana mendes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Joana...

      Verdade amiga, há uma grande diferença entre o ter e o ser, o ter aos poucos desaparece , o ser permanece, e nisto posso dizer não tive muito , mas fui muito feliz e ainda sou, usufruindo das bagagens que tive ao longo dos anos...Infelizmente as crianças hoje não são como antigamente, mas tem grandes chances de ser, tudo depende do que os pais lhe oferecem....

      Beijos

      Excluir
  16. menina menina
    assim você me faz chorar
    me enchendo de emoção e de esperança
    de que o mundo pode ser melhor :)

    viver de verdade
    ser amada de verdade
    isso não tem dinheiro que compre :)

    que bom que guardou as boas lembranças
    e obrigada por dividí-las com a gente :)

    beijos
    claudinha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O amor que recebemos é um dom gratuito, a educação nos é preciosa, e o melhor que temos a levar pelo resto da vida, insto sim é ter uma infancia feliz,,,,,

      Beijos Claudinha e obrigada

      Excluir
  17. Que legal.. nossa infância assim é tudo de bom
    A minha também só tenho boas lembranças de todas essas brincadeiras de rua e quer saber ainda mais ?
    kkkkkkkkkkkkkk eu fiz todas elas de novo com meus filhotes
    Outro dia minha nora falou pra mim assim :/
    Tio você era o muleque mais velho da rua kkkkkkkk tava sempre jogando taco, bola, surfando, pião.. mas a mulecada adorava tio, quem não gostava eram os outros pais porque todo mundo queria saber porque eles não iam pra rua também kkkkkkkkkk
    abs adorei ler, me lembrou muita coisa boa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Sérgio....

      Seu relato é delicioso de ler, acredita que meu pai se senta como os netos para fazer pião e carrinho de rolimã? um tem 9 anos e o outro 5, e adoram o avô, fico observando esta cena , porque foi exatamente assim que ele nos criou, e hoje revendo a cena ja não é por necessidade , ou por falta de condições , mas por prazer em ensinar o verdadeiro sentido do que é ser criança...e isto me faz admirá lo tanto....

      Abraços e obrigada :)

      Excluir
  18. Que linda mocinha!

    Que linda moçona, hoje!

    Sabe Ciça, este seu post me levou a uma reflexão: aquilo que realmente importa é o que fica gravado em nossa lembrança. Como você disse, como a Isa disse no comentário.

    Relembrei agora a minha infância e não foi nenhum conforto, nem os brinquedos, nem as facilidades que me vieram à mente e sim o amor dos meus pais, a simplicidade da vida no campo e de sua gente onde morei algum tempo.

    As coisas fúteis, as materiais, nunca farão parte das nossas lembranças, as amorosas sim.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Van,

      A mocinha , virou gente grande, rsrs

      Amiga, são os momentos que ficam registrados em nossa memória, os valores, sentimentos permanentes e que contribuiriam muito para nos tornar o que somos hoje, uma bagagem de vida....

      Beijos

      Excluir
  19. Oi Cecilia... que foto mais fofa... aliás continua com a mesma carinha doce...heheheheh
    Tive uma infância boa amiga, não éramos ricos mas meus pais tinham uma boa situação financeira. Mas mesmo assim nossos brinquedos não eram os mais caros e por incrível que pareça adorávamos os mais baratos....Eu mesma, não me liguei a muitos brinquedos, fui mesmo é uma moleca de rua e tenho muitttttaaasss recordações desta fase.
    Adorei seu depoimento, mostra o quanto você aprendeu e aprende com a vida....
    Beijussssssssssssssssssssss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Valéria,

      Mocinha sapeca aquela da foto heim rsrsr,

      Mas é verdade o que ficou registrado em nossa infância foram estes momentos de contato direto com a vida, com os amiguinhos, com a rua, com nossa criatividade e imaginação em nos divertir e ser criança. Isto sim é algo que ficou guardado na memória e no coração...boas recordações..

      Beijos amiga, e obrigada pelo carinho

      Excluir
  20. Cecília, você não precisava de uma bonequinha da moda ou de porcelana porque você era a própria boneca de tão linda que era e ainda continua igualzinha!! Sapeca, sapeca..rsrs

    Sua infância foi feliz amiga, o importante é a pessoa forte e íntegra que você se tornou, mesmo diante de todas as dificuldades que passou...

    Eu também brinquei de queimada e de peteca.. e gostava de descer as ladeiras no carrinho de rolimã dos amiguinhos... Meu pai, com muita dificuldade, pois era um professor e trabalha três turnos para manter a família, me deu uma boneca chamada Susi(guardo ela até hoje)e é um símbolo para mim, assim como a sua doce Cris.. Puxa, até parece que tivemos infâncias parecidas Cecília!!

    Adorei estar aqui e participar deste momento tão bonito, relembrar a infância é sempre muito bom!!!
    Um grande beijo amiga!
    Um maravilhoso final de semana!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Dri,

      Rsrsrs, acredita que também acho esta foto bem engraçadinha e charmosinha..rsr,

      Amiga, é verdade mesmo com tantas dificuldades não me perdi no meio delas, mas serviram de uma bagagem de riquezas para me tornar o que sou hoje . Realmente minha infância foi muito boa. e os brinquedos eram aquelas que podiamos criar com carinho e olha que dava até briga, você me fez lembra da peteca que faziamos com um pedacinho de telha, palha de milho e pena de galinha, e num é que ficava perfeita? rsrsr..

      Adorei você por aqui falando também um pouquinho de você, beijos em seu coração de mel e tenha uma linda noite....e obrigada sempre pelo carinho

      Excluir
  21. Cecília, as coisas singelas, feitas de matéria quase imponderável, sempre são as mais marcantes. Imponderável, aí, quase equivale a essenciais. O que alegra nem sempre é o objeto de desejo, e sim o desejo em si, que carregamos no coração.

    A Vida muda, os desejos também, porém burilados pelos exemplos. Sobrevivemos à Matrix e à corrente que pretende nos tornar crianças-padrão, e nos sentimos mais fortes por sabermos que nos disntinguimos de tudo o que não tivemos, adquirindo, assim, nossa própria identidade.

    Hoje, aqui, você celebra essa Consciência de "Eu sou Eu", eu sou resultado de experiências, não de posses!

    Parabéns, a moça ali realmente brilha na foto e aqui! Bjss!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ebrael, exatto,

      Coisas singelas,que se tornaram valorosas e importantíssimas na minha vida. E como bem colocado por você o objeto em si não marca, mas o que ele representava e a forma como era acrescido é o que fica registrado , tanto que virou um texto, um conto, um história real de vida. É por este e outros motivos que nos diferenciamos e guardamos em nós a fase mais deliciosa e importante , o que nos fez crescer, amadurecer, e saber que somos alguém capaz de criar, inventar, usufruir e sobreviver ao que realmente a vida tem de muito bom pra gente.Os tempos mudam, a minha infância não se compara com as de hoje, mas sim, concordo a identidade fica, a personalidade , o caráter, a educação , os princípios que obtemo no ontem , que alimentam o nosso hoje e aos poucos vai construindo o nosso amanhã....
      O que posso exigir mais da vida?.....

      Beijosss e obrigada por me prestigiar com sua presença e precioso comentário

      Excluir
  22. Cecília, que fofinha vc era! Nem tinha cara de levada. Bacana vc dividir suas lembranças com os seus leitores. Bjão e desculpe a demora pra voltar aqui. :(

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah Sérgio, eu não era levada, ersrs, quietinha até demais, rsrsrs

      Beijos , obrigada...sei que o tempo as vezes não favorece...entende...

      Excluir
  23. Ei Cecília,

    Que Gracinha você! :)
    Nossa, minha infância também foi bem assim como você falou. Não tinha luxo, nem brinquedos caros, mas foi rica em amiguinhos, brincadeiras de rua, enfim, foi muito aproveitada!
    Amei a oportunidade de lembrar e falar sobre essa fase que, para a maioria de nós, é a melhor fase das nossas vidas.

    Beijossss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Lidiane,

      Amiga uma infância em meio ao que era natural e proveitoso, assim vivemos nós e através disto boas e lindas recordações...

      Beijos e obrigada

      Excluir
  24. Querida amiga Cecília.
    Me emocionei com seu Post.
    Alguns fatos nos marcam não pelo que temos, mais sim pelo amor que nos foi dado.
    Assim é a essência da vida, que começa na beleza da infância...
    Algumas pessoas tem este grande dom de manter esta beleza a vida toda!
    E você mostra possuir este lindo dom.
    Que você seja sempre assim: Muito Feliz !!!
    Beijos com carinho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Alba,

      E eu me emocionei com suas palavras , realmente poucos conseguem usufruir desta essência da vida, as boas e agradáveis lembranças da nossa infância, manter esta deliciosa história acesa , bem acesa em nossa mente e podermos comparatilha la com quem amamos....

      Obrigada pelo seu carinho, sua presença e sua forma linda de se expressar por aqui....

      Beijos

      Excluir
  25. Oi, Ceciiiii!!!

    Há quanto tempo!!! Eu ando meio sumida por esses tempos, mas hoje resolvi dizer 'chega' e vir aqui matar a saudade de vocês.

    Lindo seu texto, como tudo o que vc escreve. A felicidade realmente está nas pequenas coisas, e não nos grandes luxos. Eu tive uma infância de classe média, tinha bastante brinquedos, e bonecas, e vídeo games, mas as lembranças mais felizes que tenho da minha infância, são de quando eu saía de pijama mesmo pra frente do prédio e subia na minha árvore e ficava lá me pendurando de galho em galho como uma macaquinha... Ou de quando eu brincava de esconde-esconde com os colegas no intervalo do recreio. É uma pena que as crianças de hoje em dia não sabem mais o que é isso...

    Bjs, linda!!!

    Lari.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Lari,

      Que delicia de presença esta sua, estava com saudades,sua presença é sempre agradável ..:)

      Amiga concordo com você, a felicidade se encontra nos detalhes, mínimos mas com cheiro de vida, a nossa infância ela é o começo de tudo, suas lembranças são lindas e maravilhosas de se ler, criança que apronta , se aventura, rsrs, assim como você aproveitei ao máximo, me pendurei no pé de ameixa, cai e levei 16 pontos na coxa, até hoje uma marca para lembrar por toda vida,rsrs,mas feliz, não se sobem em pés de ameixa como antigamente rsrs, e como bem disse é uma pena sim que as crianças de hoje não se alimentam da sua liberdade de ser criança...infelizmente....

      Querida amiga, beijos em seu coração, e muito obrigada pela presença,,saudades muita de ti....

      Excluir

A fase mais gostosa de quem escreve é quando conhece a opinião de quem lê....Obrigada por suas palavras e sejas sempre bem vindo(a)....