/
22 Comentários
Quão frágil és tu minha pequena,
que em teu corpo carregas grandes asas,
sustentadas em pequenos fios de esperança,
alçando vôos de sabedoria,
sofrida , bela, livre,delicada, sensível,
és a mensageira do amor,
que não se permite tocar,
mas nos permite sentir 
teu leve pouso....

Cecília Sfalsin


Leia também

Quão frágil és tu minha pequena, que em teu corpo carregas grandes asas, sustentadas em pequenos fios de esperança, alçando vôos de sabedori...

22 comentários:

  1. Querida Cecilia amiga!

    Eu adoro borboletas a voar,seu poema é lindo:
    " a mensageira do amor,
    que não se permite tocar,
    mas nos permite sentir
    teu leve pouso...."

    beijos
    joana mendes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Linda Joana,

      Eu também amo borboletas, pela delicadeza e beleza que ela tem , além de uma sensibilidade incomparável, e o pouso dela que de tão leve nos transmite amor....

      Beijos e obrigada

      Excluir
  2. Lindo, lindo, lindo... me diz o que chega mais perto da definição do amor que a vida da borboleta e seu voo?
    Beijo no coração

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Valéria,

      As borboletas nos aproximam do amor pela sensibilidade e fragilidade que tem além de ter voos surpreendentes..concordo ela o define com perfeição...

      Beijos e obrigada

      Excluir
  3. olá guria Ceci

    maravilhoso pousar
    em suas palavras
    simplesmente lindo guria

    bjim

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Juci,

      Sinta se a vontade em pousar e sempre deixar aqui a sua essência...

      Beijos e obrigada

      Excluir
  4. Olá vim conhecer seu Blog e agradecer
    sua visita,obrigado pelo carinho
    Esse Poema é muito bonito,adorei
    Tudo aqui é gratificante
    Abraços de bom final de tarde!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rita,

      Agradeço imensamente o carinho e a presença, sejas bem vinda, a casa é sua..

      Muito obrigada pelas palavras singelas...

      Abraços

      Excluir
  5. Oi, Cecília, me identifico muito com as borboletas. Elas são leves, frágeis, coloridas, delicadas e ainda assim fazem seu trabalho com precisão. Asas leves, porém fortes. Um abraço, boa semana!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Bia,

      Eu também tenho uma grande afinidade com as borboletas, pela leveza que tem e pelas características simples e sensíveis comparáveis ao amor..

      Abraços e obrigada

      Excluir
  6. Sabe uma coisa?
    Este poema, está um mimo, daqueles...como hei-de explicar? Isso! Daqueles vôos "distantes" nos fazem voar, voar e voar, ainda que sabendo que nunca o mimo irá pousar...
    São tantas as vezes em que me sinto num vôo de uma borboleta....tantas...tantas,quantas as vezes que sinto que nunca irei pousar....ainda assim, vôo ....sinto porquê, mas nem sempre sei, para quê....

    parabéns :)! gostei do mimo, deste poema...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Maria,

      Mimo estão suas palavras, que são delicadas e carinhosas.As borboletas tem vôos surpreendentes e são bem reservadas em suas essência , com uma sensibilidade de se admirar por isto é tão próxima ao amor....

      Beijos querida e muito obrigada pelas lindas palavras

      Excluir
  7. Acho que o que mais se aproxima do amor é realmente o voar das borboletas.
    Parabéns pelo poema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei Rafa,

      Com certeza é de uma sensibilidade singular...

      Grata pelas palavras e presença...:)

      Abraços

      Excluir
  8. Olá minha querida amiga Cecilia, boa noite!!!
    Lindíssimo minha amiga, adorei!!!
    Como diz Martha Medeiros: "O amor é como uma borboleta. Por mais que tente pegá-la, ela fugirá. Mas quando menos esperar, ela está ali do seu lado. O amor pode te fazer feliz, mas às vezes também pode te ferir. Mas o amor será especial apenas quando você tiver o objetivo de se dar somente a um alguém que seja realmente valioso. Por isso, aproveite o tempo livre para escolher." Que em matéria de amor saibamos alçar voos tão suaves e rápidos como as borboletas.
    Tenha uma linda noite e uma maravilhosa e abençoada semana!!!
    Abraços e muita paz!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eiiiiiiiiiiiiiiiii Du,

      Ai o amor e as borboletas se afinam em sensibilidade e Martha Medeiros a definiu muito bem, pois o amor ele só precisa da liberdade para seu pouso leve...

      Abraços meu querido em muito obrigada pelo carinho

      Excluir
  9. Sempre é puro,singelo falar de borboletas.Parabéns pelo poema.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ei França,

      As borboletas se definem em sensibilidada não é mesmo?

      Beijos e obrigada pela presença...seja bem vinda sempre

      Excluir
  10. Cecilia, então, devemos aprender a observar para aprender.

    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Sissym,

      Sermos observadores e sensíveis em aprender com elas....

      Beijosss

      Excluir
  11. Olá. Vim retribuir sua visita ao Arca e conhecer o seu cantinho mágico. Adorei seu blog. Parabéns. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ola Maria José,

      Amiga fico lisonjeada com seu carinho, presença e elogio...

      Muito obrigada mesmo e sejas sempre bem vinda

      Beijos

      Excluir

A fase mais gostosa de quem escreve é quando conhece a opinião de quem lê....Obrigada por suas palavras e sejas sempre bem vindo(a)....